quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

De cabeça quente

No passado mês de Dezembro, apesar de ter andado caladinha aqui pelo blog, isso não significa que não tenha andado ocupada o suficiente.

É certo que este ano não consegui de forma nenhuma arranjar tempo para fazer os habituais postais natalícios e mandar as congratulações como sempre faço questão. Tive muita pena por não poder fazê-lo, porque é algo que me dá prazer, mas realisticamente não me era de todo possível, já que ter um bebé é algo que absorve mesmo muito. Para o ano, haverá mais tempo e criatividade, certamente!

Mas como ia dizendo, as minhas mãos estiveram ocupadas quase numa base diária. Mas dada a minha reduzida disponibilidade, optei por projectos bastante portáteis, fáceis de "pegar e largar" e "largar e voltar a pegar" e que fossem ao mesmo tempo úteis.

Por isso, andei numa saga de gorros.

Consegui terminar o gorro para o meu "excelentíssimo" , que estava a tricotar com 5 agulhas de ponta dupla. Não ficou nada de especial e para não variar, não ficou para ele, mas sim para mim, já que ele encontrou não sei quantas defeitos razões para não o usar... Lá quentinho é ele!



Depois, como o Ricardo estava a precisar de mais um gorro, decidi fazer um para ele.
Usei agulhas circulares, mas optei por não tricotar em circular, mas antes virando o trabalho, isto porque no ponto mousse, tenho uma certa tendência para deixar mais frouxa a malha onde o marcador está colocado.
Usei agulhas 4mm e fios Rosários 4 Nanny.
Para fazer a costura, segui as instruções do livro da Debbie Bliss, que se vê nas fotos abaixo.
Gostei muito do resultado final e o Ricardo fica mesmo castiço com o gorro!



Para complementar a prenda de Natal do meu primo mais novo, o Rafael, decidi fazer-lhe também um gorro, no mesmo modelo que fiz para o Ricardo, mas num tamanho maior.
Usei também agulhas 4 mm, mas um fio um pouco mais grosso, Cheval Blanc Salsa.
É curioso que não aprecio nada crochetar com este fio, mas adoro tricotar com ele. Os trabalhos ficam mesmo muito diferentes.

E foi assim que pude ir fazendo o gosto às mãos, e pude ir matando as saudades às agulhas e aos fios de lã.



6 comentários:

  1. Gosto muito de todos;o) mas no livro não me recordo de um gorro em ponto mousse, ou improvisaste e usaste apenas as instruções da costura que até me lembro de serem bem fáceis de perceber. beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Susana.

      Baseei-me no livro apenas e só no número de malhas e nas instruções de diminuições e depois para fazer a costura ;)

      O ponto mousse foi uma inspiração vinda duma fotografia que encontrei no Instagram ;)

      Como estão os teus meninos?!
      Já vi que estás a recomeçar a pegar nas agulhas... muito bom!!!!

      Eliminar
  2. Parabéns, são todos bonitos! Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Joana!!

      Beijinhos e bom fim-de-semana!

      Eliminar
  3. Que gorros lindos Naná :)
    Bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
  4. Naná...os gorros ficaram lindos na sua simplicidade!
    Bj amigo

    ResponderEliminar

Ponha aqui as suas mãos!