terça-feira, 25 de julho de 2017

Top Rosamund / Rosamund Top

Um dos meus objectivos para este ano, uma das resoluções que tomei no início deste ano, foi que iria renovar o meu guarda-roupa e de preferência sem gastar em roupa de cadeias comerciais. Podem ler mais aqui sobre o processo de renovação do meu guarda-roupa.

Decidi que queria ter mais roupa feita por mim, no meu roupeiro.
Também já vos tinha falado aqui da minha lista de resoluções em termos de projectos a executar este ano.

Por isso, hoje venho mostrar-vos uma peça de roupa nova no meu roupeiro, feita por mim, da minha lista de resoluções para 2017 (a n.º 7).

Foi um projecto muito interessante de tricotar.
Primeiro usei um fio 100% feito em Portugal, o Rosários 4 Princípe Real, feito a partir de algodão, linho e seda, para ser fresco para o verão.



No entanto, posso dizer que não é assim lá muito fresco. Apenas e só se houver uma brisa fresca, porque de resto acaba por ser um bocado quente. Creio que resulta melhor usar em dias de meia-estação.

O fio apesar de ser agradável ao toque, não foi lá muito agradável de tricotar, especialmente até ter separado as mangas e ter terminado o decote. Só quando passei a tricotar em circular é que a experiência passou a ser mais prazeirosa. Além disso, notou-se a diferença de tensão nas malhas tricotadas direito e avesso e as restantes, tricotadas todas pelo direito em circular, que ficaram mais uniformes. 

Tem uma construção engraçada, visto que é tricotado de cima para baixo, em raglan. Mas depois do decote feito (tricota-se direito e avesso) passamos a tricotar em circular, para ficar uma peça sem costuras.



A determinada altura enganei-me na montagem de malhas na zona das cavas... li mal o número de malhas que deveria montar e em vez de montar as malhas para o meu tamanho (o 42) montei as malhas para o tamanho mais pequeno (34, creio eu...). No entanto, resultou na perfeição e não precisei fazer aumentos nenhuns porque ficou perfeito na zona do busto. Acho que se tivesse montado as malhas que devia o top me ia ficar demasiado largo nesta zona. Apenas tive foi que tricotar em qualquer diminuição mais 5cm de tecido na zona do peito e ficou mesmo como eu queria.



No geral, posso dizer que estou muito satisfeita com a peça final, adoro a cor, e cumpri um dos meus objectivos: ter uma peça nova no meu guarda-roupa, feita com as minhas mãos.







*****

One of my goals for this year, one of the resolutions I made at the beggining of this year, was that I was going to renew my wardrobe and preferably without spending any money in comercial chainstores. You can read more here about the renewal proccess of my wardrobe.

I made a decision to have more handmade clothes in my closet.
I had also told you about my resolutions list concerning my crafts projects, to make this year.

So, today I am here to show you a piece of clothing that is new in my closet, made by me, from my 2017 resolutions list (number 7).

It was a very interesting project to knit. 
First I used a yarn 100% made in Portugal, Rosários 4 Princípe Real, a cotton, linnen and silk blend, to be fresh for summer.

However, I cannot say it is all that fresh. Only if there is a slight breeze blowing, because other than that it is a little bit too warm. I think it is best for wearing in those mid season days.

The thread, although it is gentle and soft to the touch, wasn't all that pleasant to knit, especially until I separated for the sleeves and finished the neckline. Only after I started  knitting in the round it became a more pleasurable experience. And also, it quite shows the different tension in the stitches knit right and wrong sides, from those knitted on the round in the right side, because they are more even.

It has a funny constrution, since it is knitted top-down, raglan shaped. After the neckline is knitted (you knit both sides) you join in the round to knit seamlessly.

At a certain point, I made a mistake in the number of cast-on stitches in the underarm... I misread the pattern, and cast on the number of stitches for the smaller size (34 I believe...) instead of the number of stitches for my size (42). However, it turned out just perfefctly, because I didn't have to make any increases, because it fit just perfect in my bust. I believe that if I had cast-on the correct number of stitches for my size it would've been too big in my bust area. All I had to do was knit an extra 5cm of fabric for the height and it turned out just the way I wanted it.


Overall, I can say that I am very pleased with the garment, I love the color, and I completed one of my goals: to have a new garment in my wardrobe, made with my hands.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Costurar para decorar / Sew to decorate

Quando idealizei a nova disposição do hall, uma das coisas que decidi que era que os dois módulos individuais teriam que servir de banco, onde nos pudéssemos sentar, para calçar ou descalçar sapatos.

Ainda demorei algum tempo a executar a peça que faltava: uma almofada!

O tecido já o tinha em inventário, era o que me sobrara de uma peça que tinha comprado para fazer um babysling para uma querida amiga, usando este mesmo modelo.

Como boa parte das coisas que faço em costura, assim que meti na cabeça que iria executar a almofada, decidi passar à acção, e aproveitei 1h que tinha disponível, em que os meus dois reguilas estavam ocupados nas suas brincadeiras, para talhar a almofada.

As costuras foram depois feitas na noite do dia seguinte, já eles dormiam a bom dormir.


A escolha do tecido não podia ter sido mais acertada!
Acho que dá um ar elegante a um espaço que estava meio desenxabido... e fica também com um aspecto leve devido ao estampado floral.

Depois foi só encher com enchimento de algodão próprio para este tipo de peças (creio que comprei o enchimento na loja do Leroy Merlin...) e fechar a abertura com uma costura à mão, usando ponto invisível.

Agora que penso nisso, acho que este tipo de costura à mão foi das primeiras coisas que aprendi com a minha mãe ainda em pequena. É incrível aquilo que nos fica retido na memória e que nem fazíamos ideia disso.



*****

When I idealized the rearranging of my hall, one of the things I decided was that I would use the two single modules as a stool, where we could sit down and put on or off our shoes.

It took me a while to make the missing piece: a pillow!

I had the fabric in stash, a piece of fabric that I had left after making a babysling for a dear friend, using the same pattern as this one

Like in almost everything I make sewing-wise, as soon as I put my mind to it I don't rest until I get to it, so I took 1 hour I had available while my two little devils where busy playing around, to cut the fabric.

The sewing part happened the next day at, late at night, while they were both sound asleep.

The choice of fabric couldn't have worked better! 
I think it gives a little bit of elegance to the space, which was kind of poor and uninteristing... and also has a light look, from the floral print. 


Then all I had to do was to fill it with cotton pillow filling (I think I bought it at a Leroy Merlin store...) and close the opening by hand with an invisible stitch.

Now that I think of it, I believe that this hand sewn stitch was one of the first things I learned with my mother when I was just a little girl. It's amazing what lies in our memory and we didn't even know it.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Decoração aliada a organização / Decoration allied to organizing

O meu hall de entrada precisava de um ar novo.

Achava-o muito pobre em termos de decoração.
Além disso, a consola que lá estava servia quase invariavelmente de "despejo" de tudo e mais alguma coisa... desde os bonés dos miúdos, a revistas e papéis variados, e até mesmo um casaco ou outro... todos amassados.

O caos organizado que se instalara e se tornara um hábito precisava de ser resolvido!

Algumas imagens que vi no Pinterest despertaram a minha atenção, porque combinavam a decoração com a organização, o que vinha responder às minhas necessidades.

Por isso, tracei um plano (fiz mesmo um desenho e tudo!) e pus mãos à obra - as do meu marido, não as minhas...

Comprei estantes, uma prateleira e caixas de arrumação na loja IKEA e uns cabides metálicos dourados na loja Tiger, para materializar o que eu idealizara.


Só não estou mais satisfeita porque as opções de cores da madeira que encontrei disponíveis não combinam a 100% com a cor da parede e com os restantes elementos estruturais do hall, e que são inclusivamente em madeira de cerejeira...

Mas mesmo assim, fiquei satisfeita por ter decidido mudar as coisas, o espaço passou a ser mais funcional e agradável. E há espaço para arrumar coisas!

Aqui fica o antes e o depois!


***** 

My house's hall needed a new look.

I thought it was a little bit poor, decorationwise.
Besides, the console that I had there was usually used as a "dumping" space for everything and more... ranging from the kids hats, to magazines and various papers, to even one or two cardigans... all bundled up.

The organized chaos that had been settling had became a bad habit that needed to be solved!

Some pictures I saw on Pinterest got my attention,. because they combined decorating and organizing, which responded to all my needs for that space. 


So, I made up a plan (and I actually made a drawing of it...) and "put hands" to work - my husband's, not mine...

I bought a shelving module, the shelf and the storage boxes at IKEA store and some metalic golden hooks at Tiger store, to complete my vision for that space.

I am not 100% happy with the final result because I couldn't find available the right wood colors to go with the wall colors and the color of some structural elements wooden made, in cherrytree wood.

But even so, I am happy that I decided to change things, because the space became much more functional and pleasant. And there is room to stow thing! 

Here is the before and after!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Xaile Pomelo / Pomelo Shawl

Uns meses antes de terminar o último xaile que vos mostrei, fiz este que agora vos mostro.



Chama-se Pomelo e é feito em crochet e optei por usar fios que tinha em inventário.

Decidi fazê-lo porque o achei bonito e já o tinha na minha lista de desejos/projectos, e porque surgiu a oportunidade de o poder fazer em conjunto com outras pessoas, num Crochetar Juntas, organizado pela Bola de Tons.

Aproveitei a ocasião e usei fios que já tinha, ou seja, foi um excelente projecto para gastar fios que estavam guardados cá em casa, e não gastar dinheiro.

É por essa razão que o xaile tem 3 cores diferentes, mas acho que resultou muito bem a combinação.

Usei fios da BMG Affinitas da Miltons, e agulha de 4mm.

Optei por não fazer as franjas que estavam no projecto original da designer, porque simplesmente não sou fã de franjas...

É uma peça com um tamanho considerável e a ideia é ser uma peça de usar por casa, para cobrir as costas nas noites de inverno, enquanto vejo televisão.

Se quiserem fazê-lo, o esquema é grátis e podem descarregar as instruções facilmente.



*****

A few months before finishing the last shawl I showed you, I made this one, that I am showing you now.

His name is Pomelo and is made in crochet and I chose to use yarn that I had in stash. 

I decided to crochet it because I find it beautiful and it was already in my wishlist/queue and also because the opportunity to make it together with other people came along, in a CAL organized by Bola de Tons

I took the occasion and used stashed yarn, which means that this was a great stash busting project and I didn't have to spend money on new yarn. 

That is the reason why it has 3 different colors, but I think that the combination worked out really well.

I used BMG Affinitas by Miltons yarn, and 4mm hook.

I chose not to make the braids at the edge, as showed in the pattern from the designer, but that is just because I am not a fan of braids or fringes... 

It is a reasonable size piece and the general idea is to use it around the house, to cover and warm my back in winter nights, while I sit on the couch and watch tv.

If you wish to make it, it is a free pattern that you can easily download from the internet.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Golden Sand, Blue Seas



Acho que já não é segredo para ninguém que por aqui passa de que a minha designer preferida é a Joji Locatelli.

O xaile Golden Sand, que ela publicou juntamente com outras designers para uma campanha de solidariedade (apoiar a comunidade cega no Congo) foi daquelas peças que me deixou rendida instantaneamente. Fiquei apaixonada pela beleza do xaile assim que o vi e claro, tinha mesmo que o tricotar para mim!

Não demorei muito a escolher o fio, um dos novelos que usei já tinha em inventário, comprado uns bons meses antes na primeira Rota das Linhas (em Lisboa, 2015) na Retrosaria: Malabrigo Sock na cor 474 Caribeño. Bastou-me apenas comprar outro novelo de Malabrigo Sock, desta feita na Tricot das Cinco, na cor 806 Impressionist Sky, para ter a metragem que precisava. Curiosamente os dois fios complementaram-se muito bem e não se nota quase a transição de um para o outro.

Por acaso, gostaria de tê-lo tricotado numa cor semelhante à do modelo original, mas na altura não descobri um fio que me prendesse a atenção e que eu achasse que seria uma boa parelha. Mas não significa que não o venha a tricotar de novo...

É um dos xailes mais fáceis de executar de entre todos os que já fiz, e curiosamente é o xaile que mais tenho usado desde que o tenho. Tem um cair muito bonito, é super macio e fica bem com uma série de peças do meu guarda-roupa. E é quentinho sem ser abrasador.

No entanto, nem tudo foram rosas com este xaile... foi um tremendo prazer tricotar com fio Malabrigo e é certamente um fio que usarei de novo, mas talvez não para xailes... e as minhas agulhas Hyia Hyia Sharp de 4mm também contribuíram para que o processo de tricotar fosse ainda mais prazeiroso.

No entanto, o remate final que fiz no xaile foi totalmente errado. Usei inicialmente um icelandic bind-off, que se dizia ser muito elástico. Mas o facto é eu devia estar mesmo muito tensa e aquilo ficou sem qualquer elasticidade, e bloquear o xaile foi um verdadeiro pesadelo. Mas após muitos meses de uso, tomei coragem e desmanchei o remate e refiz tudo, desta vez usando um russian bin-off e este sim, ficou como deveria!

Voltei a bloquear o xaile e ficou muito mais ao meu gosto. No entanto, o uso faz com que ele "encolha" na horizontal... e pareça ser mais pequeno do que é na realidade.
Mas eu adoro-o! E sempre que posso ando com ele!



*****

I guess it is no secret anymore to those who come by that my favourite designer is Joji Locatelli.

The Golden Sand Shawl, that she published along with other designers for a charitable campaign (support to the blind people in Congo) was one of those pieces that caught my eye instantly. I was in love with the beauty of the shawl as soon as I saw it, and of course I had to knit one for myself!

It didn't take me long to choose the yarn, one of the skeins I used I had already in stash, bought a few months earlier at the first Yarn Crawl (in Lisbon, 2015) at Retrosaria: Malabrigo Sock in the 474 Caribeño colorway. All I had to buy was one more skein of Malabrigo Sock, this time at Tricot das Cinco, in the 806 Impressionist Sky colorway, so I could have enough yardage. Funny thing is that both skeins really complemented well and you can hardly find the transition from one color to the other.

As a matter of fact I would've liked to have knitted it in a similar colorway to the original pattern but at the time I couldn't find a yarn that convinced me that it would be a good match. But that doesn't mean that I won't knit it again...

It is one of the easiest knits of all of the shawls I've knit so far, and funny thing is that it is the most worn of all of them. It has a beautiful drape, it is super soft and it goes well with a great number of garments and outfits that I have in my wardrobe. And it is very warm without being to hot.

However, it was not all roses with this shawl... I had a tremendous pleasure knitting with Malabrigo Sock yarn and I will certainly use it in the future, but probably not for shawls... also my Hyia Hyia Sharp 4mm needles made the proccess of knitting even more pleasant.

The fact is that the bind-off I usde for this shawl was totally wrong. At first I used an icelandic bind-off, that was supposed to be very elastic. But I guess I must have been too tense and it ended up withy no elasticity, and turned the blocking of the shawl into a nightmare. But, after months using the shawl, I took the courage to rip the bind-off and re-do it, this time using a russian bin-off which turned out just as it should! 

I re-blocked the shawl and it was just the way I wanted it to be. The problem is that with the use, it kind of shrinks horizontally and makes it look smaller than it actually is...

But I love it! And I use it as much as I can!

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Gola de folhas / Leaf Cowl

Desde que vi esta gola, decidi que queria fazer uma para mim.

Tenho que dizer que sofro duma panca em relação a motivos com folhas, por alguma razão que desconheço.
Este motivo surge frequentemente em esquemas escandinavos e nórdicos, algo que me atrai bastante.

Quando a querida Constança me ofereceu dois novelos de lã neozelandesa, de fios muito macios, decidi que queria fazer algo especial para mim!

Depois de ter feito o gorro para o meu filho mais novo, sobrou fio suficiente dum novelo para conseguir fazer esta gola.

Não podia ter resultado melhor, foi uma excelente combinação este fio com este modelo!

Com este modelo aprendi uma nova técnica, a costurar uma bainha em picot, que é tão mais simples do que possa parecer!



Usei agulhas de 4mm de bamboo circulares com cabo de 60 cm.




*****

As soon as I saw this cowl, I decided right there and then to make one for myself.

I have to say that I have a crush of some sorts for this leafy motifs.
This is a motif that is very common to find in scandinavian and nordic patterns, which attracks me very much. 

When the lovely Constança gifted me with two balls of new zealand wool, a very soft yarn, I thought I would make something special for myself.

After making the hat for my youngest son, I had some yarn left in one of the balls, that together withy the other ball enough to make this cowl.

It couldn't have resulted better, it was a great match, this yarn with this pattern.

With this pattern I learned a new skill , how to seam a picot edge, which is so much simpler than it appears.!

I used 4mm circular bamboo needles with 60 cm cable.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Dizem que é hygge / People say it is hygge

Quando comecei a tricotar, não encontrava grande interesse em tricotar meias... com tanto xaile e camisola e casaco e gorro lindo de morrer, porque havia de perder tempo a fazer meias em tricot?!

Mas depois experimentei... e não fiquei convencida...
Até que voltei a experimentar e fiquei rendida!
Porque afinal de contas eu sempre adorei ter os pés quentinhos.
E o que há de melhor no mundo para os pés quentes senão um bom par de meias de lã? Ainda por cima dizem que é hygge!

Ora sendo eu uma fã incondicional da série televisiva Guerra dos Tronos, assim que vi este modelo de meias, tomei a decisão de fazer um par para mim! Logo eu que sou fã da Daenerys Targaryen!

Não foi um projecto fácil. Levei meses a concluir este par de meias. Aprendi bastante no que diz respeito a ajustar a minha tensão.

Mas fiquei com um par de meias perfeito, que me assenta super bem e que me deixam os pés quentinhos!

Usei fio Cheval Blanc Balade (a gama de fio de meias desta marca) e agulhas de 2,5mm e tricotei usando magic loop, e tricotei ambas de forma alternada, para não ser atacada pelo síndrome de segunda meia.





*****

When I first started knitting, I didn't find much interest in knitting socks... with so many beautiful shawls and sweaters and cardigans and hats, why should I waste time knitting socks?!

But then I gave it a try... and wasn't convinced... 
Until I gave it another try and got hooked
Because after all I always loved having my feet really warm.
And how best in the world to get your feet warm other than a good pair of wool knitted socks? And even more, people say it is hygge!

Well, considering that I am a huge fan of the tv show Game of Thrones, as soon as I saw this sock pattern, I decided immediately to knit a pair for me! Being the Daenerys Targaryen fan that I am!

It wasn't an easy project. It took me months to finish this pair of socks. And I learned quite a lot in terms of being able to adjust my tension and gauge. 

But in the end I ended up with a perfect pair of socks, which fit me so well and leave my feet so warm!

I used Cheval Blanc Balade yarn (the brand's sock yarn) and 2,5mm needles and I knitted them in magic loop, and the two alternated so I didn't get Second Sock Syndrom.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Carnaval atrasado / Late Carnival

(Eu sei que estamos quase na Páscoa.
Eu sei que o Carnaval foi há coisa de um mês e meio.)


Não podia deixar de mostrar aqui a máscara que fiz para o meu filho mais velho e que muito me orgulho.

Quando eu era miúda, ansiava sempre pelo Carnaval. E pensava sempre que a minha mãe, com todos os dotes de costura que tinha, me iria fazer uma máscara de Carnaval. Mas o facto é que a minha mãe, muito criativa para tantas coisas, tinha pouca capacidade de imaginação para me criar fatos de Carnaval.
O que a salvou sempre de eu ficar desapontada com ela é o facto de até aos 10/11 anos eu nunca ter participado em nenhum desfile de máscaras, porque invariavelmente adoecia sempre. Era matemático! Houve mesmo anos em que eu já temia o Carnaval porque já sabia que ia ficar de cama e acabava sempre com uma visita ao médico.

Por isso, achei que um dia, quando fosse mãe ia tentar inverter esta tendência e "tradição" familiar, e faria por criar fatos de Carnaval aos meus filhos, dentro da medida das minhas capacidades.

E este foi o primeiro ano em que pus isso mesmo em prática. Na escola do meu filho mais velho decidiram que os meninos e meninas deviam ir mascarados de árabes, como forma de honrar o passado histórico da ocupação árabe na cidade.

Isto pareceu-me bastante acessível, enquanto máscara. Comecei a planear o que iria fazer, e tenho que admitir que demorei mais tempo a planear que a executar.
Fiz um turbante com cordão de algodão (tinha um rolo que trouxe de "herança" da casa da tia do meu marido) e uni em circular com recurso a lã. Uni tudo com pontos baixos em crochet.



Depois planeei o fato em si. Achei que bastaria uma túnica em tecido branco e depois faria um cinto com mais um pouco do cordão branco. E um rectângulo de pano branco para usar na cabeça, a imitar os xeiques das Arábias.

Uma colega de trabalho arranjou-me um lençol de algodão daqueles antigos, com boa espessura (até me deu pena de lhe meter a tesoura...)  e foi com isso que talhei a túnica, as mangas e o pano da cabeça.



Depois costurei a túnica e pela primeira vez preguei umas mangas e a experiência não podia ter corrido melhor!

O decote é que correu menos bem, com receio que não passasse na cabeça, acabei por fazê-lo demasiado grande. Mas depois corrigi e acabou por ser um pormenor decorativo.

O meu filho ficou tão feliz por ter um fato feito pela mãe!
E até recebi elogios da professora...

(e não, não fui eu que fiz o fato do palhaço. Costurar um fato de palhaço para o mais novo era areia demais para a minha camioneta... )

*****


(I know we are almost at Easter.
I know that Carnival has passed almost a month an a half ago.)

I couldn't avoid showing here the costume I made for my oldest son, that I am really proud of.

When I was a little kid, I always longed for the Carnival to come. And I always thought that my mother, with all her skills for sewing, would make me a Carnival costume. But the fact is that my mother, which was so creative for so many things, wasn't very imaginative in designing Carnival costumes for me.

What always saved me from disappointment is the fact that until I was 10/11 years old I never got to participate in any costume parades, because I inevitably got sick. It seemed like a curse! There were even some years that I feared Carnaval because I already knew I would be sick in bed and the subsequent visit to the doctor.

So, I always said to myself that one day, when I became a mother, I would try to reverse that tendency and break the family "tradition" and would make my kids costumes for Carnival, within my skills.

And this year for the first time I got to put that into pratice. In my boy's school they decided that all the boys and girls would have to wear arab costume, as a way to honor our historic past of arabic occupation in our city.

It seemed quite accessible to me, as a costume. I started planning what I was going to do, and I have to admit that it took me longer to plan that to execute.
I made a turbant out of cotton cord  (I had a bobin I got as a "heirdom" from my husband's aunts house) and I joined in a circle using yarn, in single crochet stitches.

Then I planned the costume itself. I thought that a simple tunic would do the trick, and use a little bit more of cord to make a belt. And also a fabric rectangle for the head cloth, kind of like the ones that Arabian Xeiqs use.
A coworker of mine got me an old cotton fabric bed sheet, those old ones quite thick (I almost felt sorry for putting the scissors in it...)  and with that I cut the pattern  pieces for the tunic, the sleeves and the head cloth.

Then I sewed the side seams of the tunic and set in my very first sleeves, and it couldn't have gone better!

The neckline wasn't so good, because I made it too big because I was afraid it wouldn't be enough for the head to pass, but I made a correction and it ended up being a decorative feature of the garment.

My son was so happy with his mother handmade costume!
And it even got me some praises from his school teacher...

(and no, I didn't make the clown costume. Sewing a clown costume was more than I can chew... )

sexta-feira, 31 de março de 2017

Camisola de menino / Boy's sweater

Quando me comecei a sentir mais confiante no tricot, defini como objectivo fazer camisolas para os meus filhos. Já tinha planeado fazê-lo no ano passado, mas envolvi-me em tantos projectos que não foi possível.

Mas este ano achei que teria que o fazer, teria que ser uma prioridade. E quando fiz a minha Lista de Resoluções para o KAL anual a que aderi, contemplei isso mesmo.

Aproveitei uma promoção no final do ano passado, da marca Drops, nos fios de alpaca e comprei logo quantidades suficientes para uma camisola para o Filipe, outra para o Ricardo e porque me esqueço sempre de mim... comprei para fazer para mim também.

Levei pouco mais de um mês a tricotar esta camisola para o Filipe, ocupou-me o mês de Janeiro todo e mais dois dias de Fevereiro. Trabalhei quase exclusivamente neste projecto e deu-me muito prazer fazê-lo.

Escolhi o modelo Flax, um esquema gratuito no Ravelry, da designer Tin Can Knits, que tem um pormenor engraçado nas mangas e que lhe dá outra graça, mas não deixa de ser bastante simples e de fácil execução.

Fiz o tamanho 8/10 anos, porque apesar do Filipe ter apenas 8 anos, já veste roupa de tamanho 10 anos, já que ele é bastante alto para a idade.

Usei fio composto por 65% de lã e 35% de alpaca, Drops Lima, na cor Navy Blue e usei agulhas circulares de 4mm.

Não fiz alterações nenhumas ao modelo e assenta na perfeição!

E nem imaginam o quanto ele ficou feliz com a sua camisola nova!





*****


When I started feeling more confident in my knitting, I set out that I would make sweaters for my kids. I had planned on doing it last year, but I got involved in so many projects that it just wasn't possible. 

But this year I thought that I just had to make it, it would have to be a priority. And when I made my Resolutions List for the annual KAL I entered, I took it in to consideration.

I didn't miss the Drops yarn promotion at the end of last year, in the alpaca yarns so I bought sweater's quantities enough for a garment for Filipe, another one for Ricardo and because I tend to forget about myself... I bought enough to make one for myself too.

It took me a little bit over a month to knit this sweater for Filipe, the whole month of January and a few more days of February to complete it. I work on it almost exclusively and I had a blast knitting it.

I chose the Flax Sweater, a free pattern on Ravelry, designed by Tin Can Knits, which has a detail on the top of the sleeves that makes it fun, and still simple and easy to execute.

I made the 8/10 years old size, because although Filipe is only 8 yo, he is already wearing the 10 yo size clothes, since he is very tall for his age.

I used a 65% wool and 35% alpaca blend yarn, Drops Lima, in the Navy Blue  colorway and used circular 4mm needles.

I made no changes to the pattern and it fits perfectly!

You have no idea how happy he was with his new sweater!



terça-feira, 21 de março de 2017

Fios com nomes / Name necklaces

Há uns meses atrás, quis fazer umas lembranças para oferecer às minhas actuais camaradas de blog, por alturas da Troca de Natal. Não sabia muito bem o que queria fazer para as presentear, apenas decidi que teria que ser algo simples e bonito e de preferência de execução rápida, já que não dispunha de muito tempo.

Um dia, ao deitar, fez-se luz (vá-se lá saber porquê, parece que as melhores ideias que costumo ter, surgem-me a esta hora do dia, ou da noite... quando a ideia é desligar o cérebro para poder adormecer) e lembrei-me que tinha comprado uns pacotinhos de missangas com letras, na altura com o propósito de fazer marcadores de malhas para mim, com nomes engraçados e relacionados com o tricot e o crochet, claro.

Percebi que poderia facilmente fazer um fio ou uma pulseira com o nome dos blogs pessoais delas ou com o nome da sua marca, usando essas missangas.

Apenas precisei comprar um rolo de fio de cabedal e os pingalhetes para fecho.

Muni-me de agulha de tapeçaria para ajudar a passar as missangas pelo fio de cabedal e usei os meus alicates de precisão que comprei para fazer os marcadores e que são usados para fazer bijutaria e afins.

Se bem o pensei melhor o fiz e podem ver aqui e aqui.

No Natal, decidi fazer mais uns mimos para acompanhar com as outras lembranças que fiz para as minhas primas.

Curiosamente, tinha planeado fazer uma pulseira para mim... mas lá está... nunca há tempo para "mimos egoístas"...




*****

A few months ago, I wanted to make some small gifts for my current blog partners, sometime around the Christmas Swap. I wasn't really sure on what to make for them, I just decided that it had to be something simple and pretty and preferably that could be executed rapidly, since I didn't have much time available.

One day, by bedtime, Eureka (go figure why all my best ideas always come up at this hour of the day, or night... when the general idea is to shut down the brain in order to fall asleep) and I remembered that I had bought some small bags of beads with letters, with the purpose of making my own stitch markers with funny names related to knitting and crochet, of course.

I realized that I could easily make a necklace or bracelet with their personal blogs names or their brand, by using those beads.

All I had to buy was a leather thread and the locks for the necklace.


I used a tapestry needle to help pass the beads throughout the leather thread and use my precision pliers that I bought to make my stitch markers and are usually used for jewelry making.

So I went for it and made them and you can see them here and here.

At Christmas I decided to make some more treats to go with the small gifts I made for my two cousins. 
 
The funny thing is that I had planned on making myself a bracelet... but there you have it... there is never time for "selfish presents"...