quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Episódio 7 - Mudança de Planos / Episode 7 - Change of Plans



Generalidades:
The Great Knit Off
Bem.me.quero by Sílvia
Entre a Serra e o Mar

Segmento Tricot - Projectos em Curso
Little Sister's Dress (em vermelho)
Margarette Fingerless Gloves
Boardwalk Vest

Segmento Crochet - Projectos em Curso
Manta Daisy Star - que vai passar a ser uma touca...

Segmento Livros
Sew Liberated de Meg McElwee
Loop-d-Loop Lace Workshop de Teva Durham
Tricot Simples da Erica Knight
Mãos à Obra da Constança Cabral

Segmento Podcasts

Constança Cabral - "vídeos de conversa"
Hue Loco Podcast da Nicole
Brooklyn Knitfolk Podcast da Jaclyn Salem
Vídeo Tutoriais da Natália Fialho Branco - Como tricotar 2 meias ao mesmo tempo

 *****


Generalities:
The Great Knit Off
Bem.me.quero by Sílvia
Entre a Serra e o Mar

Knitting Segment - WIP's
Little Sister's Dress (in red)
Margarette Fingerless Gloves
Boardwalk Vest

Crochet Segment - WIP's
Manta Daisy Star - that will become a bonnet...

Book Segment
Sew Liberated by Meg McElwee
Loop-d-Loop Lace Workshop by Teva Durham
Tricot Simples by Erica Knight
Mãos à Obra by Constança Cabral

Podcasts Segment
Constança Cabral - "chatter videos"
Hue Loco Podcast by Nicole
Brooklyn Knitfolk Podcast by Jaclyn Salem
Vídeo Tutorials by Natália Fialho Branco - How to knit 2 socks at the same time



10 comentários:

  1. Ola eu tricoto a portuguesa com fio a volta do pescoco, mas quando andei ver videos para aprender eram a continental entao quando tenho de fazer tricot e a continental.
    OS videos para ensinar na primeira mensagem que deixei era essa a minha dica que com o continuar dos videos pudessemos acabar por fazer um projecto maior com a ajuda dos seus videos.
    Continue com o bom trabalho e parabens. Beij

    ResponderEliminar
  2. Ola eu tricoto a portuguesa com fio a volta do pescoco, mas quando andei ver videos para aprender eram a continental entao quando tenho de fazer tricot e a continental.
    OS videos para ensinar na primeira mensagem que deixei era essa a minha dica que com o continuar dos videos pudessemos acabar por fazer um projecto maior com a ajuda dos seus videos.
    Continue com o bom trabalho e parabens. Beij

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Liliana, tive esse mesmo problema quando comecei a tentar tricotar. Como queria aprender a tricotar à portuguesa, não tive outra solução senão aprender com alguém.
      Vou tentar fazer mais alguns onde possa ensinar, se bem que a logística de gravação não é muito simples... mas com um pouco de esforço, espero conseguir ajudar :)

      Eliminar
  3. Obrigada, uma vez mais, pela partilha do meu blogue.
    No outro comentário esqueci-me de dizer que faço malha à portuguesa, mas passando o fio num alfinete dama, ou em dois, quando trabalho com cores (ou fair isle, tenho as mesmas dúvidas Naná!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Engraçado que tentei usar alfinete e por alguma razão me ajeito muito, mas devia tentar de novo, porque reduz o esforço na zona do pescoço.

      Fair Isle ou Colorwork, aí está um objectivo para o próximo ano! Quero experimentar fazer um projecto com essa técnica!

      Eliminar
  4. Obrigada, uma vez mais, pela partilha do meu blogue.
    No outro comentário esqueci-me de dizer que faço malha à portuguesa, mas passando o fio num alfinete dama, ou em dois, quando trabalho com cores (ou fair isle, tenho as mesmas dúvidas Naná!)

    ResponderEliminar
  5. Naná, hoje você me deixou de boca aberta com o tricot à portuguesa, não conhecia! Aqui na Espanha tricotamos à inglesa porém poucas pessoas chamam assim. Algumas vezes tentei aprender à continental mas falhei. À portuguesa... melhor nem tento. ;)
    Acho boa a sua ideia de mudar a manta por uma touca. Na minha opinião as mantas de crochet precisam de pontos "abertos" para não ficarem muito pesadas e rígidas, ainda mais se o fio for de algodão.
    Continue assim! Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Alhana, tricotar à portuguesa até nem é difícil... e quando fazemos o ponto de liga (purl) é muito mais fácil do que o ponto de meia (knit), o que é um pouco ao contrário do que sucede no tricot à continental ou à inglesa. Outra vantagem do tricot à portuguesa é que é muito mais "amigo" dos nossos pulsos e mais suave para quem tem propensão para o síndrome de túnel cárpico.

      Entretanto, experimentei tricotar à continental... no ponto meia até não me saí mal, mas no ponto liga... bom, as malhas ficaram todas esquisitas e a tensão super larga!

      Eliminar
  6. Adoro estes podcasts!
    Tricoto a portuguesa,com alfinete!
    Bons tricots

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Susana! Fico contente que aprecie!

      Tenho que voltar a tentar usar o alfinete, porque às vezes o fio colocado atrás do pescoço faz pressão nessa zona...

      Bons tricots

      Eliminar

Ponha aqui as suas mãos!